Acidentes de trânsito em Belo Horizonte: o que revelam três diferentes fontes de informações, 2008 a 2010

OBJETIVO: Analisar a contribuição de três diferentes fontes de informações na descrição de acidentes de trânsito em Belo Horizonte. MÉTODOS: Estudo exploratório dos Sistemas de Informação da Empresa de Transportes e Trânsito, de Internações Hospitalares e Mortalidade, com...

Full description

Bibliographic Details
Main Authors: Lúcia Maria Miana Mattos Paixão, Eliane Dias Gontijo, Eliane de Freitas Drumond, Amélia Augusta de Lima Friche, Waleska Teixeira Caiaffa
Format: Article
Language:English
Published: Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva 2015-03-01
Series:Revista Brasileira de Epidemiologia
Subjects:
Online Access:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2015000100108&lng=en&tlng=en
Description
Summary:OBJETIVO: Analisar a contribuição de três diferentes fontes de informações na descrição de acidentes de trânsito em Belo Horizonte. MÉTODOS: Estudo exploratório dos Sistemas de Informação da Empresa de Transportes e Trânsito, de Internações Hospitalares e Mortalidade, com análise de proporções, coeficientes e medidas de associação. RESULTADOS: Preenchimento inadequado nas três fontes, destacando o uso de equipamentos de segurança e de álcool pelo condutor. Perfil de homens, jovens, ocupantes de motocicleta ou pedestres semelhante nos três sistemas. Além do alto coeficiente de mortalidade dos residentes em Belo Horizonte (19,4 por cem mil habitantes) no período, observou-se aumento dos acidentes e de vítimas não fatais com concomitante elevação na taxa de internação (34%) e custos hospitalares (53%) e maior envolvimento de motocicletas, proporcionalmente à frota. Os homens condutores apresentaram mais chance de serem feridos ou mortos. Passageiros ou pedestres apresentaram 1,8 vezes a chance de morrer, comparados aos condutores. Verificou-se aumento (12%) das mortes em via pública com 55% de positividade nos exames toxicológicos e 50% mais chance de acidentes fatais nos finais de semana. CONCLUSÃO: Apesar da incompletude dos registros, foi possível caracterizar como principais fatores associados aos acidentes os pedestres idosos, motociclistas, o uso de álcool e excesso de velocidade. O estudo demonstrou a complementaridade das três fontes de dados, com seus diferentes objetivos e permitiu revelar importantes aspectos da cadeia de eventos relacionados aos acidentes e vítimas de trânsito, desde sua ocorrência até a eventual evolução fatal, fornecendo informações relevantes da magnitude do problema para guiar estratégias de controle.
ISSN:1980-5497