Situação nutricional e alimentar de pré-escolares no semi-árido da Bahia (Brasil): II ­ Hipovitaminose A Nutritional status of pre-school children of the semi-arid region of Bahia (Brazil): II ­ Vitamin A deficiency

Foram estudados 754 pré-escolares de áreas urbanas de sete municípios do semi-árido do Estado Bahia, Brasil, com o objetivo de determinar a prevalência da hipovitaminose A e sua associação com a idade, sexo, renda em salário-mínimo, escolaridade materna e adequação dietética em vitamina A. Na amostr...

Full description

Bibliographic Details
Main Authors: Leonor M.P. Santos, Ana Marlucia O. Assis, Maisa C. Martins, Maria P.N. Araújo, Saul S. Morris, Mauricio L. Barreto
Format: Article
Language:English
Published: Universidade de São Paulo 1996-02-01
Series:Revista de Saúde Pública
Subjects:
Online Access:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101996000100009
Description
Summary:Foram estudados 754 pré-escolares de áreas urbanas de sete municípios do semi-árido do Estado Bahia, Brasil, com o objetivo de determinar a prevalência da hipovitaminose A e sua associação com a idade, sexo, renda em salário-mínimo, escolaridade materna e adequação dietética em vitamina A. Na amostra estudada não se registrou nenhum caso de sinais e/ou sintomas de xeroftalmia durante o exame clínico-oftalmológico. Em 563 crianças foi possível a coleta de sangue para determinação de retinol sérico; encontrou-se um valor médio de 20,3 µg/dl (DP=10,8µg/dl) e uma prevalência de 15,3% de níveis deficientes (abaixo de 10,0 µg/dl). Em todos os sete municípios estudados a prevalência de retinol sérico deficiente foi superior a 5,0% que é nível crítico proposto pela OMS para considerar a hipovitaminose A como problema de saúde pública. A distribuição de retinol sérico encontrada não teve relação com o sexo das crianças, mas com a idade, diminuindo a prevalência de níveis deficientes e baixos na medida em que a idade aumenta. Não se encontrou associação entre renda familiar per capita ou escolaridade materna e a prevalência de níveis de retinol deficiente. Os resultados de consumo alimentar provenientes do inquérito recordatório de 24h mostraram que apenas 8% das crianças consumiram quantidades adequadas de retinol ou de seus precursores; 66% ingeriam abaixo da metade e quase 35% delas não chegaram a ingerir nem um quarto da quantidade recomendada para sua faixa etária. A carência de vitamina A deve ser considerada como problema de saúde pública severo, tanto pela alta prevalência de níveis deficientes de retinol em todos os municípios como também pela dimensão da inadequação dietética.<br>A survey of 754 preschool children was undertaken in the urban areas of seven small towns of the semi-arid region of Bahia, Northeastern Brazil, to determine the prevalence of vitamin A deficiency, as well as its association with variables such as a age, family income, mother's schooling and dietary adequacy in vitamin A. Protein energy malnutrition and anemia were also studied and are reported separately. The clinical ophthalmological examination did not reveal any signs or symptoms of xerophthalmia amongst these children. In 563 children serum retinol was determined and the average value found was 20.3 µg/dl (SD=10.8 µg/dl); the prevalence of deficient serum retinol (below 10.0 µg/dl) was of 15.3%. In all 7 localities studied, the prevalence of deficient retinol levels was above 5.0%, the criterion recommended by WHO for considering it a Public Health Problem. The distribuition of serum retinol was similar between the sexes, but there was an age trend: the prevalence of deficient and low levels decreased with age. There was no association between deficient serum retinol and family income per capita or mother's education. Results from the 24 h food consumption survey revealed that only 8% of children had an adequate intake of vitamin A through the diet; 66% received less than 1/2 and 35% less than 1/4 of the recommended daily intake of vitamin A. Vitamin A deficiency should be considered a Public Health Problem in the region due to the high prevalence of deficient levels of serum retinol as well as the large dietary inadequacy.
ISSN:0034-8910
1518-8787