Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 

As relações interorganizacionais, em seu contexto mais específico da gestão de custos interorganizacionais (GCI), geram aos participantes dificuldades quanto à falta de confiança, ao modo como os benefícios serão compartilhados, se as informações são verídicas, entre outros problemas. No âmbito...

Full description

Bibliographic Details
Main Author: Sérgio Lemos Duarte
Other Authors: Welington Rocha
Language:Portuguese
Published: Universidade de São Paulo 2017
Subjects:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-14062017-104903/
id ndltd-IBICT-oai-teses.usp.br-tde-14062017-104903
record_format oai_dc
collection NDLTD
language Portuguese
sources NDLTD
topic Administração estratégica de custos
Agronegócio
Cafeicultura
Contabilidade Gerencial
Relações Interorganizacionais
Agribusiness
Coffee-growing
Interorganizational relations
Management accounting
Strategic cost management
spellingShingle Administração estratégica de custos
Agronegócio
Cafeicultura
Contabilidade Gerencial
Relações Interorganizacionais
Agribusiness
Coffee-growing
Interorganizational relations
Management accounting
Strategic cost management
Sérgio Lemos Duarte
Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 
description As relações interorganizacionais, em seu contexto mais específico da gestão de custos interorganizacionais (GCI), geram aos participantes dificuldades quanto à falta de confiança, ao modo como os benefícios serão compartilhados, se as informações são verídicas, entre outros problemas. No âmbito das pesquisas interorganizacionais, o ambiente competitivo de Investor-owend Firms (IOFs) tem se favorecido. Nesse contexto, a pesquisa nas relações com as cooperativas pode favorecer tanto a literatura da GCI, quanto ajudar no segmento cooperativo agrícola, que tem perdido produtos para IOFs dos seus cooperados. Nessa visão, a pesquisa tem como objetivo verificar se e como se estabelece a configuração da GCI nas cooperativas e IOFs da cadeia de valor do café, comparando-as e relacionando as variáveis já discutidas na literatura de GCI, com a base teórica da ECT, enfoque desta tese. Utilizou-se a pesquisa qualitativa, com entrevistas semiestruturada, individuais, com produtores rurais, representantes de cooperativas e IOFs, que comercializem café e tenham relação direta, delimitados geograficamente no estado de São Paulo e Minas Gerais. Foi realizado um pré-teste, com um produtor rural, uma cooperativa e uma IOF, para validação das questões da entrevista. Posteriormente, realizou-se a análise de similitude pelo software IRAMUTEQ, confirmando as variáveis e abrindo a possibilidade de estudar uma variável nova (fidelidade comercial) não contemplada na literatura interorganizacional. Realizadas as entrevistas, com as novas questões inseridas, um total de 21 para produtores e 21 para cooperativas e IOFs, as respostas foram transcritas, utilizando o software Atlas TI para a contagem e as variações das palavras, conferindo quais estavam relacionadas com cada uma das variáveis para, assim, organizar e fazer a análise de conteúdo. Como resultado, identificou-se a relação das variáveis de GCI e ECT entre elas, dado a qualidade-funcionalidade no âmbito cafeeiro não limitar o preço pago ao produtor rural, que utiliza a qualidade-funcionalidade para aumentar o preço e o mercado futuro para minimização da incerteza na oscilação do mercado. Percebeu-se a prática do OBA na relação unilateral produtor-cooperativa, com informações acerca da qualidade e produção e também de forma unilateral, verificando que os benefícios, a cooperação e a (inter)-dependência ocorriam nesta relação. Na variável (inter)-dependência, notou-se, pelos relatos dos produtores, a utilização da venda de insumos e armazenagem na cooperativa de forma oportunista, fazendo com que o produtor tenha que manter a estabilidade da relação, para poder ter os benefícios oferecidos pela cooperativa e não arcar com taxas da retirada do café, percebendo também a falta de visão dos produtores quanto aos resultados futuros das compras com trocas de café. Ainda na prática do OBA, evidenciou-se a ocorrência de forma indireta, com informações sobre os custos dos produtores rurais, pelo programa EDUCAMPO, repassados à cooperativa. No comparativo das duas relações produtor-cooperativa e produtor-IOF, a prática da GCI é mais favorável nas cooperativas com os produtores, também no tipo de cadeia, contrariando a literatura que evidenciava essa relação ser mais democrática, sendo que, pela pesquisa, verificou-se ser mais tipificada do principal a familiar. Também nos ativos específicos, verificou-se que as cooperativas oferecem mais especificidades que as IOFs, a ponto de o produtor rural gerar uma fidelidade comercial de forma não exclusiva. === Interorganizational relations in their more specific context of interorganizational cost management (IOCM) give participants difficulties regarding lack of confidence, how benefits will be shared, if information is truthful, among other problems. In the scope of interorganizational research, the competitive environment of Investor-owned Firms (IOFs) has been favored. In this context, the research on relations with cooperatives can favor both the literature of the IOCM and help in the agricultural cooperative segment that has lost products to IOFs of its members. In this view, the research aims to verify if and how to establish the IOCM configuration in cooperatives and IOFs of the coffee value chain, comparing them and relating the variables already discussed in the release of IOCM with the theoretical basis of the transation cost economics (TCE) approach of this thesis. The qualitative research was used, with individual semi-structured interviews with farmers, representatives of cooperatives and IOFs that commercialize coffee and have a direct relations, delimited geographically in the state of São Paulo and Minas Gerais. A pre-test was carried out, with a rural producer, a cooperative and an IOF, to validate interview questions. Subsequently, the analysis of similitude was performed by the software IRAMUTEQ, confirming the variables and opening the possibility of studying a new variable (commercial loyalty) not contemplated in the interorganizational literature. After the interview with the new questions, a total of 21 for producers and 21 for cooperatives and IOFs, transcribed, Atlas TI software was used for counting and the variations of the words conferring which were related to each one of the variables, in order to organize and do content analysis. As a result, it identified the relationship between the IOCM and TCE variables among them, given that the quality-functionality in the coffee field does not limit the price paid to the rural producer, which uses quality-functionality to increase the price and the future market to minimize uncertainty in oscillation of the market. It was perceived the practice of the OBA in the unilateral producer-cooperative relationship, with information about quality and production and also unilaterally, found that benefits, cooperation and (inter)-dependence occurred in this relationship. In the (inter)-dependence variable, it was noticed by the producers\' reports the use of the sale of inputs and storage in the cooperative in an opportunistic way, causing the producer to maintain the stability of the relationship, in order to have the benefits offered by cooperative and not to pay coffee withdrawal rates, noting also the lack of vision of the producers regarding the future results of purchases with coffee exchanges. Also in the OBA practice, the occurrence of an indirect form was evidenced, with information on the costs of the rural producers, through the EDUCAMPO program, passed on to the cooperative. In the comparison of the two producer-cooperative and producer-IOF relations, the practice of the IOCM is more favorable in cooperatives with producers, also in the type of chain, contrary to the literature that showed this relationship to be more democratic and by the research found to be more typified of the and the specific assets that the cooperatives offer more specificities than the IOFs, to the extent that the rural producer generates a commercial loyalty in a non-exclusive way.
author2 Welington Rocha
author_facet Welington Rocha
Sérgio Lemos Duarte
author Sérgio Lemos Duarte
author_sort Sérgio Lemos Duarte
title Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 
title_short Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 
title_full Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 
title_fullStr Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 
title_full_unstemmed Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil 
title_sort gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - iofs no setor de cafeicultura no brasil 
publisher Universidade de São Paulo
publishDate 2017
url http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-14062017-104903/
work_keys_str_mv AT sergiolemosduarte gestaodecustosinterorganizacionaisemorganizacoescooperativaseinvestorownedfirmsiofsnosetordecafeiculturanobrasil
AT sergiolemosduarte managementofinterorganizationalcostsincooperativeorganizationsandinvestorownedfirmsiofsinthecoffeegrowersectorinbrazil
_version_ 1718907504560177152
spelling ndltd-IBICT-oai-teses.usp.br-tde-14062017-1049032019-01-21T23:28:53Z Gestão de custos interorganizacionais em organizações cooperativas e investor-owned firms - IOFs no setor de cafeicultura no Brasil  Management of interorganizational costs in cooperative organizations and investor-owned firms - IOFs in the coffee grower sector in Brazil Sérgio Lemos Duarte Welington Rocha Reinaldo Rodrigues Camacho Ana Cristina de Faria Nilton Cesar Lima Decio Zylbersztajn Administração estratégica de custos Agronegócio Cafeicultura Contabilidade Gerencial Relações Interorganizacionais Agribusiness Coffee-growing Interorganizational relations Management accounting Strategic cost management As relações interorganizacionais, em seu contexto mais específico da gestão de custos interorganizacionais (GCI), geram aos participantes dificuldades quanto à falta de confiança, ao modo como os benefícios serão compartilhados, se as informações são verídicas, entre outros problemas. No âmbito das pesquisas interorganizacionais, o ambiente competitivo de Investor-owend Firms (IOFs) tem se favorecido. Nesse contexto, a pesquisa nas relações com as cooperativas pode favorecer tanto a literatura da GCI, quanto ajudar no segmento cooperativo agrícola, que tem perdido produtos para IOFs dos seus cooperados. Nessa visão, a pesquisa tem como objetivo verificar se e como se estabelece a configuração da GCI nas cooperativas e IOFs da cadeia de valor do café, comparando-as e relacionando as variáveis já discutidas na literatura de GCI, com a base teórica da ECT, enfoque desta tese. Utilizou-se a pesquisa qualitativa, com entrevistas semiestruturada, individuais, com produtores rurais, representantes de cooperativas e IOFs, que comercializem café e tenham relação direta, delimitados geograficamente no estado de São Paulo e Minas Gerais. Foi realizado um pré-teste, com um produtor rural, uma cooperativa e uma IOF, para validação das questões da entrevista. Posteriormente, realizou-se a análise de similitude pelo software IRAMUTEQ, confirmando as variáveis e abrindo a possibilidade de estudar uma variável nova (fidelidade comercial) não contemplada na literatura interorganizacional. Realizadas as entrevistas, com as novas questões inseridas, um total de 21 para produtores e 21 para cooperativas e IOFs, as respostas foram transcritas, utilizando o software Atlas TI para a contagem e as variações das palavras, conferindo quais estavam relacionadas com cada uma das variáveis para, assim, organizar e fazer a análise de conteúdo. Como resultado, identificou-se a relação das variáveis de GCI e ECT entre elas, dado a qualidade-funcionalidade no âmbito cafeeiro não limitar o preço pago ao produtor rural, que utiliza a qualidade-funcionalidade para aumentar o preço e o mercado futuro para minimização da incerteza na oscilação do mercado. Percebeu-se a prática do OBA na relação unilateral produtor-cooperativa, com informações acerca da qualidade e produção e também de forma unilateral, verificando que os benefícios, a cooperação e a (inter)-dependência ocorriam nesta relação. Na variável (inter)-dependência, notou-se, pelos relatos dos produtores, a utilização da venda de insumos e armazenagem na cooperativa de forma oportunista, fazendo com que o produtor tenha que manter a estabilidade da relação, para poder ter os benefícios oferecidos pela cooperativa e não arcar com taxas da retirada do café, percebendo também a falta de visão dos produtores quanto aos resultados futuros das compras com trocas de café. Ainda na prática do OBA, evidenciou-se a ocorrência de forma indireta, com informações sobre os custos dos produtores rurais, pelo programa EDUCAMPO, repassados à cooperativa. No comparativo das duas relações produtor-cooperativa e produtor-IOF, a prática da GCI é mais favorável nas cooperativas com os produtores, também no tipo de cadeia, contrariando a literatura que evidenciava essa relação ser mais democrática, sendo que, pela pesquisa, verificou-se ser mais tipificada do principal a familiar. Também nos ativos específicos, verificou-se que as cooperativas oferecem mais especificidades que as IOFs, a ponto de o produtor rural gerar uma fidelidade comercial de forma não exclusiva. Interorganizational relations in their more specific context of interorganizational cost management (IOCM) give participants difficulties regarding lack of confidence, how benefits will be shared, if information is truthful, among other problems. In the scope of interorganizational research, the competitive environment of Investor-owned Firms (IOFs) has been favored. In this context, the research on relations with cooperatives can favor both the literature of the IOCM and help in the agricultural cooperative segment that has lost products to IOFs of its members. In this view, the research aims to verify if and how to establish the IOCM configuration in cooperatives and IOFs of the coffee value chain, comparing them and relating the variables already discussed in the release of IOCM with the theoretical basis of the transation cost economics (TCE) approach of this thesis. The qualitative research was used, with individual semi-structured interviews with farmers, representatives of cooperatives and IOFs that commercialize coffee and have a direct relations, delimited geographically in the state of São Paulo and Minas Gerais. A pre-test was carried out, with a rural producer, a cooperative and an IOF, to validate interview questions. Subsequently, the analysis of similitude was performed by the software IRAMUTEQ, confirming the variables and opening the possibility of studying a new variable (commercial loyalty) not contemplated in the interorganizational literature. After the interview with the new questions, a total of 21 for producers and 21 for cooperatives and IOFs, transcribed, Atlas TI software was used for counting and the variations of the words conferring which were related to each one of the variables, in order to organize and do content analysis. As a result, it identified the relationship between the IOCM and TCE variables among them, given that the quality-functionality in the coffee field does not limit the price paid to the rural producer, which uses quality-functionality to increase the price and the future market to minimize uncertainty in oscillation of the market. It was perceived the practice of the OBA in the unilateral producer-cooperative relationship, with information about quality and production and also unilaterally, found that benefits, cooperation and (inter)-dependence occurred in this relationship. In the (inter)-dependence variable, it was noticed by the producers\' reports the use of the sale of inputs and storage in the cooperative in an opportunistic way, causing the producer to maintain the stability of the relationship, in order to have the benefits offered by cooperative and not to pay coffee withdrawal rates, noting also the lack of vision of the producers regarding the future results of purchases with coffee exchanges. Also in the OBA practice, the occurrence of an indirect form was evidenced, with information on the costs of the rural producers, through the EDUCAMPO program, passed on to the cooperative. In the comparison of the two producer-cooperative and producer-IOF relations, the practice of the IOCM is more favorable in cooperatives with producers, also in the type of chain, contrary to the literature that showed this relationship to be more democratic and by the research found to be more typified of the and the specific assets that the cooperatives offer more specificities than the IOFs, to the extent that the rural producer generates a commercial loyalty in a non-exclusive way. 2017-04-11 info:eu-repo/semantics/publishedVersion info:eu-repo/semantics/doctoralThesis http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-14062017-104903/ por info:eu-repo/semantics/openAccess Universidade de São Paulo Controladoria e Contabilidade USP BR reponame:Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP instname:Universidade de São Paulo instacron:USP