Objetos e imagens no Marajó antigo: agência e transformação na iconografia das tangas cerâmicas

Esta dissertação está centrada no estudo da iconografia da cerâmica marajoara, mais especificamente, na iconografia das tangas cerâmicas pertencentes a diversos acervos e coleções, com o objetivo de refletir sobre figuração durante a fase marajoara. Partindo de uma abordagem que integra Arqueolo...

Full description

Bibliographic Details
Main Author: Emerson Nobre da Silva
Other Authors: Maria Cristina Nicolau Kormikiari Passos
Language:Portuguese
Published: Universidade de São Paulo 2017
Subjects:
Online Access:http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/71/71131/tde-19022018-143407/
Description
Summary:Esta dissertação está centrada no estudo da iconografia da cerâmica marajoara, mais especificamente, na iconografia das tangas cerâmicas pertencentes a diversos acervos e coleções, com o objetivo de refletir sobre figuração durante a fase marajoara. Partindo de uma abordagem que integra Arqueologia, Antropologia da Arte e Etnologia, compreendemos as tangas enquanto objetos de composição, transformação e fabricação corporal, o que também permitiu identificar, em sua iconografia, uma forma de conceber imagens e corpos caracterizada pela integração de figuras aludindo a diversos seres e suas partes anatômicas, e também pela utilização de recursos gráficos que sugerem transformações corpóreas. Assim, as características expressas nesta iconografia foram interpretadas como uma forma de materializar princípios cosmológicos referentes à transformabilidade dos corpos, característicos das sociedades ameríndias, que colocam a transformação corporal como o centro de suas preocupações. === This dissertation focuses on the study of the iconography of marajoara pottery, specifically on the iconography of ceramic tangas, to reflect on figuration during the marajoara phase. This work benefits from an approach that integrates Archaeology, Anthropology of Art and Ethnology, enabling us to understand the tangas as objects of composition, transformation and bodily fabrication, and to identify in their iconography a way of conceiving images and bodies, which was characterized by the integration of figures alluding to diverse beings and their anatomical parts, as well as the use of graphic resources that suggest corporeal transformations. Thus, the characteristics expressed in tanga iconography were interpreted as ways of materializing cosmological principles regarding the transformability of bodies, typical of societies that place body transformation at the center of their concerns.